Tripulação de Esqueletos - Stephen King

Tripulação de Esqueletos - Stephen King


Olá pessoal! Hoje tem resenha de um livro do meu autor favorito, Stephen King, eu morro de amores pelos livros dele e a cada nova experiência eu me apaixono ainda mais.

O autor é conhecido por seus incríveis livros de terror e suspense, sendo um dos mais adaptados para o cinema e TV.

Enfim depois da tietagem desta babona que vos escreve, eis que vamos entrar no tema do post de hoje. Tripulação de esqueletos é um compilado de 22 contos de terror que conta com os mais variados segmentos, tendo enredos envolvendo fantasmas, bruxas, seres mitológicos, brinquedos assassinos, monstros, viagens no tempo, canibalismo, viagens espaciais e até mesmo a psicopatia.

Os contos deste livro são inacreditavelmente envolventes e muitíssimo críveis em alguns pontos. 

Com este livro é possível observar o quanto King é versátil em sua escrita, ele não é considerado um gênio do gênero sem motivo plausível, ele é realmente um escritor de respeito. A minuciosidade e detalhismo da história é tão perfeita que você sente que ele não criou aquelas histórias e sim, de alguma forma, elas são reais, ele traz contos em narrativa na terceira pessoa como em O Macaco e A excursão e em primeira pessoa, tanto em forma de diários como em O Nevoeiro e Sobrevivente, quanto em forma de narrativa em primeira pessoa como em O atalho da Sra. Todd e A balada do projétil flexível. 

As narrativas trazem muita informação dos personagens e suas trajetórias, ele inclui pequenas memórias ao longo da narrativa, como se o personagem realmente estivesse se lembrando de fatos de sua vida em determinados pontos, como ocorre naturalmente com o ser humano quando se depara com algumas situações. 

Apesar das histórias serem fantásticas, com enredos irreais toda a construção do universo em volta é muito "mundano" ele faz personagens humanos, com toda a carga emocional, os dilemas morais, as deturpações psicológicas e os instintos básicos, como o de sobreviver. O autor, torna os personagens verossímeis e profundamente empáticos, sendo até brutal de tanta realidade. Pequenas coisas como o pensamento de aproveitar que uma amigo morre para fugir e salvar a própria pele, matar para promover a ordem e até mesmo comer carne crua e partes do próprio corpo para sobreviver. 

Isso torna a experiência tão impressionante, é você ver retratado nas páginas pessoas "de verdade" e não personagens feitos por um critério moral que te separam da realidade, porque quando você lê percebe que algumas características de personalidade são demasiadas falsas e "projetadas" pelo autor, mas King te apresenta pessoas "cruas" como eu e você, com sérias pressões psicológicas que tomam decisões movidos por instintos, terror, covardia e coragem.

Cada conto te dá uma perspectiva diferente, temos pessoas atormentadas por coisas ruins que fizeram, curiosidade e inconsequência que levam a situações extremas, pessoas que entram em choque ao se deparar com situações extremas, medo e até mesmo algumas fugas mentais como quando você tenta enganar sua mente com alguma fantasia para não focar na situação ruim e entra em estado de paranoia, há personagens psicopatas, aqueles que sonham em matar de forma despreocupada e que em um dado momento simplesmente desligam ou entram em uma espécie de transe perpetrando crimes de maneira brutal.

De um modo geral eu diria que os livros do King são para quem tem estômago, e a mente no lugar, suas descrições de pensamentos humanos, situações e cenas são bastante realistas e podem incomodar os leitores mais sensíveis. O terror do King, não é daqueles em que você tem que sair a noite acendendo as luzes, com medo dos espíritos e fantasmas virem te pegar, o terror do King é a empatia que você sente com os personagens, é temer por eles, praticamente ouvir seus gritos e sofrer com eles dentro de suas mentes.

Por fim, quero destacar uma característica do autor que eu, particularmente, admiro muito que a sua pessoalidade com o leitor. King costuma trazer introduções em seus livros que te puxam para o mundo dele, neste ele até faz um convite: "Agarre meu braço agora. Agarre com força. Iremos a vários lugares escuros, mas acho que conheço o caminho. É só não largar meu braço. E, se por acaso, receber um beijo meu no escuro, não dê muita importância; é porque o amo. E agora, ouça:" e deste ponto o livro parte para seu primeiro conto O Nevoeiro totalmente em primeira pessoa. 

Além desta apresentação, Tripulação de Esqueletos conta com algumas notas ao final em que Stephen King fala novamente com seu leitor de forma pessoal, contando de onde tirou as inspirações dos contos, de onde surgiram as ideias, como elas ocorreram e até mesmo em quem ele se inspirou para criar alguns personagens, é absurda empatia que isso traz, é como se depois de toda a viagem partes das páginas sejam transportadas para a realidade, dando uma sensação de "Nossa! Isso aconteceu de verdade, sem todo aquele terror, mas aconteceu mesmo!" e essa, minha gente é uma sensação incrível.

Não falei das histórias em si, porque eu acho que não saber o que esperar na próxima página torna a leitura mais especial, ver o título e ficar tentando imaginar onde vai dar e as páginas irem pouco a pouco te envolvendo tornam a sua experiência mais imersiva ainda, por isso, não busque sinopses dos contos, segure o braço do autor como como ele convida na introdução e siga com ele, adentrando os lugares escuros.

0 Comentários:

Postar um comentário

Oi pra você! Leu o post? Então deixa a sua opinião, gostaria muito de saber o que você achou >.O